segunda-feira, 7 de novembro de 2022

Destaque em livro sobre inovações sociais e públicas

 O capítulo “Iniciativas de estudantes de Minas Gerais para o cuidado de pessoas idosas”, elaborado em coautoria de Silvia M. M. Costa, Simone Martins e Carmen Pineda foi destaque no Prefácio e recebeu um comentário especial no capítulo de encerramento (p. 251).

O livro "Inovações Sociais e Inovações Públicas para Mudança Social e Desenvolvimento" foi organizado por pesquisadores brasileiros e um pesquisadora espanhola, todos integrantes do Grupo de Pesquisa Gestão Social e Desenvolvimento Local e vinculados a universidades do norte brasileiro e grupos de pesquisa multinacionais. A publicação faz parte da Série Gestão Social e Desenvolvimento Local, em sua 4ª edição. 


Segue trecho comentado no capítulo de encerramento:

A possibilidade de suporte por parte do Estado ou mesmo de outros grupos sociais pode ressignificar a vida na sociedade. De certa forma, é o que nos mostra Costa, Pineda e Martins no Capítulo 8 quando nos demonstram inovações sociotécnicas direcionadas para melhorar a qualidade de vida de idosos e de enfermos a partir da criação de equipamentos de suporte à mobilidade ou outras necessidades físicas específicas. Tais equipamentos criados por jovens em função de sua vivências práticas no percurso de sua formação profissional vão além das inovações sociais e de tecnologias assistivas por via dos equipamentos em si, mas vão pelo melhor entendimento das necessidades, às vezes básicas, de uma pessoa com limitações físicas. Essa percepção só é possível de ocorrer pela convivência entre jovens saudáveis e idosos com perdas de saúde física na linha da relação intergeracional. A inovação social relatada por Costa, Pineda e Martins perpassa pelo que Oosterlynck (2013:2) define como “práticas circunscritas a nível local (...)” que contribuem para que pessoas ou grupos socialmente excluídos consigam recuperar funções relacionadas às suas necessidades sociais básicas, permitindo, de certa forma, o re-empoderamento pela recuperação de uma de suas capacidades que lhes dão maior autonomia e liberdade. Destaque-se que o sucesso das práticas circunscritas ao nível local pode se espraiar por toda sociedade desde que ascenda para um nível mais ampliado por via de um programa ou projeto público transformando-se, assim, em uma inovação pública. 

Quando o Estado chama para si a tentativa de solução de questões específicas, mas de significativa repercussão social, as possibilidades de os resultados da inovação serem amplos e terem reverberação para mudança social são bem maiores. A inovação pública se caracteriza quando o Estado coloca em prática ideias que buscam responder problemas e demandas sociais, por via de políticas, programas, projetos e serviços públicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário